“Para vestir a alma”. É essa a mensagem que vem escrita na embalagem da Boah, marca baiana que faz uma moda balneário boho – daí a brincadeira de letras que resultam no nome Boah – e pela qual é impossível não cair de amores. Com 11 anos de estrada e quase 100 mil seguidores no Instagram, a Boah pode se orgulhar de ter criado uma comunidade de verdade – sonho de quase toda marca que faz moda com estilo de vida definido. As clientes viram amigas, seguem as playlists no perfil do Spotify e estão sempre voltando a uma das quatro lojas em Salvador (ou ao e- commerce).

Idealizada por Camila Schreiber, a Boah nasceu de seu desejo de valorizar a produção local, formando uma rede de apoio principalmente entre mulheres. Não por acaso, 90% dos colaboradores são mulheres. “Felicidade traz produtividade. Não basta falar, é fundamental vivenciar diariamente a união entre mulheres que se apoiam”, acredita Camila.

As parcerias que a Boah faz com outras marcas de criadoras mulheres são a prova cabal desse espírito coletivo em torno da potência do feminino. Da collab com a marca baiana de acessórios feitos à mão Dua (@somosdua) saíram brincos, colares e cintos que trazem a leveza dos dias solares da Bahia. Tudo belamente criado por Camila e sua equipe, ao lado das designers convidadas para cada nova colaboração – e tudo sempre produzido 100% na Bahia.

Outra dobradinha de encher os olhos, as joias de prata criadas em conjunto com a joalharia Wari (@sejawari) são daquelas peças delicadas e fortes ao mesmo tempo, e para usar a vida toda. Dois anos atrás, a collab com a talentosa Pâmela Lucciola também deu o que falar com uma coleção cápsula de apenas oito peças – todo mundo amou. A parceria incluía, entre outros, vestido, calça, bermuda, camisa e cropped, o item-poder da vez entre as fashionistas do mundo inteiro.

Ainda no quesito acessórios, as sandálias e bolsas com assinatura da Boah são criadas sob medida para as mulheres solares fãs da marca passearem por aí com toda bossa e conforto.

Otimista incurável, fã de peças leves e cheias de bossa, Camila conseguiu manter a coerência nesses anos todos justamente porque desenha roupas que ela usa – volta e meia aparece no Instagram da Boah, porque é sua melhor embaixadora. “Minha intuição sobre quem é
essa mulher que usa (e adora!) a Boah é a premissa que sigo para criar as coleções. Faço moda para mulheres solares”, diz ela, com a
segurança good vibe de quem sabe que está no caminho certo. “Também nos orgulhamos demais pelo respeito que temos pela natureza, utilizando as boas práticas de sustentabilidade em todo o nosso processo de produção”, completa a fundadora.

Com muito linho e algodão, o clima alto astral se traduz na decoração das lojas, com iluminação natural, muito branco e móveis de madeira. A sensação é de estar numa casa mediterrânea ou de uma vila de pescadores bem preservada (lá no Spotify, a playlist batizada de “Visite
Salvador por Boah” é a maior prova desse clima de “veranear” durante o ano inteiro, com todo charme do mundo).

A inspiração para o décor veio de suas viagens mundo afora, mas as coleções podem surgir também de momentos mais reflexivos. É o caso
da recém-lançada Origem, coleção de outono-inverno 2022 inspirada pelo nascimento do primeiro filho em plena epidemia de Covid-19. Com cores e estampas neutras em vestidos e conjuntos de caimentos fluidos, a intenção é trazer leveza a este momento pós pandêmico. “Comecei o ano confiante de que tudo ia melhorar”, diz Camila, que é formada em administração e sempre foi uma apaixonada pelo universo da moda.

Axé axé axé, porque a vida vai melhorar!

boah.com.br